quarta-feira, agosto 01, 2007

Ajustando imagens no photoshop

Neste artigo vamos falar dos principais ajustes que normalmente fazemos numa imagem em relação a correção mais básica, nos níveis de tons claros, escuros e médios usando o painel LEVELS, um ajuste do contraste de maneira mais precisa, usando o painel CURVES. Além disso vamos fazer uma pequena correção de cor usando o painel SELECTIVE COLOR.
Usaremos Photoshop CS2.
As imagens podem ser ampliadas para se ver os detalhes, basta clicar sobre a mesma.
Vamos trabalhar usando a mesma imagem, para isso disponibilizo a imagem que utilizei no seguinte endereço: http://www.avaz.org/tratamento/fichas.zip.
A imagem neste caso está com 16 bits por canal. Mas o quer dizer isso? Bem, na verdade, as imagens de 16 bits por canal nos dão uma gama muito maior de cores. Funciona da seguinte maneira:
Vamos falar de imagens em RGB. O Photoshop separa as imagens digitais em três canais de cor, RED, GREEN e BLUE, isso pode ser visto no painel CHANELS (windows>>chanels). Neste painel vemos como foi feita a distribuição de cor para cada um dos canais visualizando em tons de cinza (figura 1),




para imagens de 8 bit por canal temos 256 tons de cinza (2x2x2x2x2x2x2x2=256). O 0 (zero) representa a ausência total da cor naquele ponto e progressivamente vamos até 255 que é a intensidade máxima da cor. Na verdade isso torna-se a nossa escala de intensidade de cor por canal, uma escala que vai de 0 a 255 (o zero conta como 1). A soma de cada um dos canais vai resultar numa cor composta dentro da gama do RGB conhecida como True Color com 16.777.216 variações. Agora imagine as imagens com uma progressão não de 8 fatores, mas sim com 16.
2x2x2x2x2x2x2x2x2x2x2x2x2x2x2x2=65536 tonalidades por canal!! Nossa escala de variações por canal dá um pulo gigantesco e assim temos imagens com muito mais informações para fazer tratamentos e correções de cor com muito menos perda, uma gama de cores absurdamente maior que as de 8 bit. Mas essas imagens tem seu preço, são muito mais pesadas, exigem muito mais em termos de processamento, espaço em disco e memória da sua máquina, não deixam todos os recursos do Photoshop disponíveis e além disso não são usadas para impressão, são apenas para tratamento e correções. Bem, depois destes detalhes vamos ao trabalho!
Descomprima o arquivo imagem.zip e abra a imagem fichas.psd. Veja que a imagem é interessante, mas tem um aspecto um tanto quanto linear, com pouco contraste e uma coloração um pouco acinzentada. Então vamos de início corrigir os níveis de sombras, tons médios e realces ou altas luzes da imagem. Para isso vamos inicialmente achar o ponto mais claro, o ponto mais escuro e o ponto “mais médio” da imagem. Isso nos ajudará bastante na correção dos níveis da imagem.
Se você abriu o painel CHANELS clique na aba LAYERS que fica no mesmo grupo. Na parte de baixo do painel LAYERS clique no atalho para criar camadas de ajuste (figura 2) e selecione Threshold.




O Photoshop cria uma camada de ajuste e nos mostra um histograma que com os níveis de sombras (lado esquerdo) médios (área central) e luzes (lado direito) note que nesta imagem temos mais tons escuros e médios que claros (figura 3).




Para achar o ponto mais escuro da imagem, corra o controle deslizante do painel Threshold totalmente para o lado esquerdo, vai ficar tudo, ou melhor, quase tudo branco, os pontos ou áreas pretas que aparecem são as áreas totalmente escuras, aperte a tecla CAPS LOCK para alternar a visualização do cursor para o modo de precisão e pressionando a tecla SHIFT clique num destes pontos pretos que aparecem na imagem, isso marca o ponto mais escuro da imagem, que iremos usar mais adiante. (figura 4).




Agora, corra o controle deslizante até o lado direito do histograma, ficará agora tudo preto, venha deslizando suavemente o cursor para o lado esquerdo, até que apareça na imagem um ponto branco, quando este ponto aparecer, pare de deslizar o controle e marque também este ponto pressionando SHIFT e clicando sobre o ponto (figura 5).




Isso marca o ponto mais claro da imagem. Agora uma grande dica para se achar o ponto médio ou o que pode ser o mais próximo de ser o ponto médio da imagem. O ponto médio é o ponto onde os três canais RGB tem o valor 128, claro que nem toda imagem vai ter exatamente este valor mas vamos achar o que seria o mais próximo dele. Este ponto nos ajuda a corrigir distorções de cor com relativa facilidade e rapidez. Primeiro vamos criar uma camada nova, entre a camada de ajuste e a camada background. Clique na camada background e no painel LAYERS clique no atalho NEW LAYER, aparece uma nova camada logo acima do background, feito isso e com a camada selecionada, pressione as teclas SHIFT+BACKSPACE, um atalho para o menu EDIT>>FILL. Na opção CONTENT selecione 50% GRAY, deixe OPACITY em 100% e BLEND MODE em normal e clique em ok (figura 6).




Em seguida, no painel LAYERS nas opções de BLEND MODE selecione DIFERENCE (figura 7).




Agora, dê dois cliques na miniatura de gráfico da camada de ajuste que criamos antes, ela vai abrir o histograma do THRESHOLD para edição. Puxe o controle deslizante totalmente para a esquerda. Aparecerão pequenos pontos ou áreas pretas na imagem, pressone SHIFT e clique num destes pontos. Marcamos assim um ponto médio desta imagem (figura 8).




Agora podemos ocultar estas duas camadas clicando no ícone do olho de cada uma delas para que fiquem invisíveis. Selecionamos novamente a camada Brackground e no painel LAYERS vamos criar uma camada de ajuste, só que agora do tipo LEVELS, as camadas de ajuste que não afetam a imagem original e permitem que nós façamos o ajuste exatamente da mesma maneira se usássemos o menu IMAGE>>ADJUSTMENTS>>LEVELS, só que com uma grande vantagem, podemos editar à vontade, pois os pixels originais não serão alterados. (figura 9).




No painel LEVELS vamos definir que cor terá o ponto mais escuro da imagem dando dois cliques no primeiro dos três conta gotas que aparecem no painel (figura 10).




Aqui, no seletor de cores, podemos definir qual será a cor do ponto mais escuro da imagem, os outros valores da imagem acompanharão proporcionalmente. Eu especifiquei para esta imagem R=15 G=15 B=15 o que dá um valor composto de CMYK resultando num preto bastante rico e com bastante profundidade por conter boa quantidade das quatro tintas de impressão. Há quem prefira um pouco mais claro, outros um pouco mais escuro. Na realidade isso vai depender sempre do dispositivo de impressão, do papel, resolução e até de opções de acabamento (vernizes) que influenciam diretamente no resultado impresso. Então coloque os mesmos valores da figura 10 e clique ok no color picker. Agora dê dois cliques no terceiro conta-gotas, o da direita, o que define os valores para o ponto mais claro da imagem (figura 11).





Para o ponto mais claro eu especifiquei um valor mais baseado no que eu quero desta imagem, uma leve tendência ao amarelo e ao magenta e uma leve diminuição do ciano. Ciano=3; Magenta=4; Yellow=4; Black=0, conforme a figura 11. Para os valores médios, os segundo conta-gotas deixo os valores em 128 para os três canais do RGB (figura 12).




Gostaria de fazer uma pequena observação: quando colocamos para o ponto mais claro da imagem os valores descritos acima significa que nossa imagem não terá o branco absoluto, claro que isso é totalmente opcional, mas significa dizer que nenhuma área da sua foto vai mostrar o papel sem tinta, por pouca que seja a diferença o “branco” da sua imagem será diferente do “branco” do papel. Isso não é uma regra, aliás, acho que não existem regras para se tratar imagens, contanto que o resultado esteja exatamente dentro do que foi planejado e pretendido, está certo.
Bem, vemos lá na área de trabalho os três pontos que criamos no início, vamos aplicar os valores que acabamos de definir a estes pontos. Dê um clique no primeiro conta-gotas, o que define os valores dos tons escuros, em seguida, certifique-se de que caps lock está ativa e na imagem faça com que o cursor do do mouse coincida exatamente com o ponto mais escuro, o ponto número 1, e dê um clique. Em seguida clique no terceiro conta-gotas o dos tons claros e clique sobre o ponto número 2. A esta altura a nossa imagem já melhorou bastante (figura 13).




Por último clique no segundo conta-gotas, o dos tons médios e clique sobre o ponto número 3. Nesta imagem quase nenhuma mudança acontecerá, pois a imagem tem uma tonalidade geral bastante neutra, como o próprio histograma mostra.
Faremos agora um ajuste no contraste da imagem. Para fazer de uma maneira também mais completa, com mais possibilidades de controle e editabilidade, vamos novamente ao painel LAYERS criar uma outra camada de ajuste, agora do tipo CURVES. No painel CURVES podemos controlar os valores dos canais juntos ou de cada um separadamente e criar uma curva de contraste bem mais específica que se fossemos usar o painel BRIGHTNES & CONTRAST. Conforme a figura 14, note que eu faço com que os valores médio-escuros, na parte baixa da curva desçam um pouco, basta clicar na linha e arrastar para onde quiser, escurecendo apenas esta gama de tonalidades em seguida clico na parte de cima da curva e arrasto um pouco mais para cima, clareando um pouco mais esta faixa tonal aumentando assim o contraste da imagem, mas sem muito exagero.





Faça seus próprios ajustes, esta é uma grande vantagem das camadas de ajuste, nosso original continua lá. Podemos a qualquer hora aumentar ou diminuir o contraste, ou os níveis de claro e escuro, basta para isso dar dois cliques na miniatura do gráfico da camada de ajuste e pronto, estamos editando. Para fazer mais uma pequena alteração nesta foto, vamos fazer umas pequenas correções de cor. Criamos outra camada de ajuste, agora do tipo SELECTIVE COLOR. O ajuste SELECTIVE COLOR é muito prático, pois em boa parte das vezes não precisamos nem criar seleções para fazer ajustes, como nesta nossa imagem por exemplo, na parte de cima do painel SELCTIVE COLOR, seleconamos o grupo de cor que queremos ajustar e nos controles deslizantes de baixo aumentamos ou diminuímos os valores para o grupo de cor que selecionamos acima. Nesta imagem que tem os valores de cor bastante equilibrados tenha cuidado com os valores Neutral e Black, eles vão afetar bastante o resultado geral. Se deslizar o controle e a reação na imagem for pouca selecione o método ABSOLUTE no lugar de RELATIVE no painel SELECTIVE COLOR.
Veja na figura 15 os valores que eu alterei. Fiz alterações apenas nos Blacks, Neutrals, Geens e Blues.




Faça suas alterações à vontade, lembre-se que poderá mudá-las a qualquer momento. A correção desta imagem está feita, mas ela será usada para impressão, então use o atalho CONTROL + Y para visualizar esta imagem como se ela já tivesse sido convertida para CMYK. Muito prático, não?
Você pode configurar os diferentes métodos e preferências para conversão para o CMYK, dentro das características do dispositivo de impressão, dos papéis, resolução e acabamentos, mas a sua imagem continua em RGB, com todos os recursos disponíveis e com bem menos peso.
Compare a imagem antes e depois dos ajustes.
Antes:



Depois:



Numa próxima ocasião vamos falar de máscaras, um abraço a todos e espero que tenha sido útil. Este artigo é de livre utilização, bastando apenas citar a fonte.
Comente este artigo.

Um comentário:

Vinícius Ferreira disse...

Muito bom Aganzi,

É raro encontrar tutoriais com esse nível de detalhamento e clareza. Principalmente em nossa língua pátria, especialmente sobre tratamento.

Parabéns,

No aguardo das máscaras.